Pantera Negra: Wakanda já existe!

O filme Guerra Civil está aí e, através desse vídeo do OMETEVE (clique e curta a página no Facebook) onde apresenta-se o personagem BLACK PANTHER (PANTERA NEGRA) para que você se familiarize com o personagem, me lembrei de um lugar na África do Sul que seria a perfeita Wakanda para as telonas, seguindo a cidade descrita e desenhada nos quadrinhos. Segue o vídeo:

“Cara, ele é uma mistura de Wolverine, com o Capitão América… com artes marciais tipo o Batman e ele tem uma armadura igual ao Homem de Ferro entendeu?” (Borgo, Érico)

T’Challa pode ser que ganhe um filme ‘solo’ futuramente e será certo que a MARVEL usará e abusará de seus estúdios e muita tela verde para reproduzir a a fictícia cidade de Wakanda.

Muito doida né ?! Agora se alguém mostrar esse resort para o pessoal da MARVEL, assim como Wakanda, escondido no continente africano, pode ser que ele daria boas cenas para um futuro filme do Pantera Negra.

Chamado de O PALÁCIO DA CIDADE PERDIDA, é um impressionante complexo turístico construído sobre a boca de um vulcão extinto e tem como atração maior esse hotel SEIS ESTRELAS que você verá. Agora tente imaginar o quão foda seria esse resort como uma locação para representar Wakanda. Seguem as fotos do resort como a ‘cidade’.

E aí? Que acharam da possível Wakanda que já até existe? Daria pra aproveitar bem hein !?

E para representar o Pantera Negra? Segue a foto do CARA CERTO na minha humilde opinião. DEIXE A SUA OPINIÃO TAMBÉM DE QUEM DEVERIA REPRESENTÁ-LO NOS CINEMAS EM UM FILME SOLO.

E por último um cartaz fan made pra galera apreciar. VALEU!

MAIS POSTS

Austrália: o Brasil que deu certo. Porque?

Inicialmente colonizada por meio do transporte de presos para a colônia de Nova Gales do Sul, fundada em 26 de janeiro de 1788. A população aumentou de forma constante nos anos seguintes, o continente foi explorado e, durante o século XIX, outros cinco grandes territórios autogovernados foram estabelecidos.
Em 1 de janeiro de 1901, as seis colônias se tornaram uma federação e a Comunidade da Austrália foi formada. Desde a Federação, a Austrália tem mantido um sistema político democrático liberal estável.

A frase que provavelmente mais ouço de brasileiros, tanto aqui, como os que estão no Brasil, ao se referirem a Austrália é que a Austrália é o Brasil que deu certo. Fazem geralmente esta referência pelo fato da Austrália e o Brasil terem climas parecidos em algumas partes do país e muitas belezas naturais.
Contudo, ao comparar os dois países sempre fica a ideia que a Austrália foi um país que deu certo e o Brasil não e esta constatação é correta, afinal, como costumam dizer os brasileiros que aqui chegam, “as coisas na Austrália funcionam”. De fato, a Austrália é conhecida mundialmente como “The Lucky Country” (O país sortudo) e todos os anos milhões de pessoas de todo mundo fazem planos para imigrar para o país e viver por aqui para sempre. Mas por que a Austrália aparentemente evoluiu tanto enquanto o Brasil ficou para trás?

1 – Não há abismo social na Austrália

Existem muitos poucos pobres na Austrália e há empregos para todos. Mas o que faz que não haja este abismo é o fato de que há pouca diferença salarial entre as profissões na Austrália. O salário de um profissional de TI junior, recém saído da faculdade geralmente não é diferente de o de um faxineiro, um garçom ou porteiro. Além disso, todas as profissões são valorizadas e muitas vezes um encanador, eletricista ou pedreiro registrados ganham mais do que um engenheiro ou um contador por exemplo. Desta forma o pedreiro, o encanador, o banqueiro e o dentista vão aos mesmos lugares, comem nos mesmos restaurantes e muitas vezes moram no mesmo prédio.

Aqui na Austrália todos são respeitados independente da condição social ou profissão. É normal você ver pessoas trabalhando de garçonetes por 3 anos e dois anos depois estar trabalhando como advogada em uma grande empresa. Aqui todo mundo trabalha e todo trabalho é valorizado.
No Brasil apenas certas classes sociais tem acesso a uma melhor qualidade de vida. Isso acontece por que o engenheiro ganha $15,000 por mês, mas paga apenas $1,000 para empregada. Aqui na Austrália quase não existe empregada em tempo integral (que trabalha todos os dias em uma casa), mas se houvesse e uma empregada trabalhasse na casa de uma gerente de marketing, a gerente ganharia aproximadamente $6,100 dólares por mês enquanto a empregada cerca de $3,700.00 (líquidos depois de descontados os impostos). Desta forma a empregada vai esquiar no inverno, vai para Fiji nas férias, mora em uma boa casa e pode sair para jantar em um restaurante mais caro de vez em quando assim como a gerente de Marketing. A Austrália não é um país apenas bom para os ricos, mas bom para todo mundo.

2 – Há pouca corrupção

De acordo com o índice de percepção de corrupção mundial, a Austrália está entre os 11 países menos corruptos do mundo, a frente da Alemanha, Japão e Reino Unido.
Sim, há corrupção na Austrália, mas numa quantidade absurdamente menor e envolvendo valores muito menores do que no Brasil. No Brasil a corrupção política geralmente se refere a algum político que desviou dezenas de milhões de dólares de uma obra pública. Aqui a corrupção geralmente é algum político que passou um ano comendo em um restaurante caro e colocando a conta no cartão de crédito do governo. A do Brasil custa dezenas de milhões por ocorrência, enquanto aqui é geralmente alguns milhares de dólares.
Ano passado um político foi afastado na Austrália por que descobriram que ele aceitou uma garrafa de vinho de presente de um empresário. Para quem quiser ler mais a respeito estou colocando o link abaixo.
http://www.smh.com.au/nsw/barry-ofarrell-resigns-after-being-caught-out-over-bottle-of-wine-20140416-36qpg.html

3 – A maioria do povo (inclusive os políticos) é honesto

Traduzindo: “Obrigado por sua honestidade, tenha um bom dia. Por favor dirija com cuidado. Os abacaxis demoram 2 anos para crescerem! Para as pessoas que roubam, Karma está por aí.

Este fazendeiro Australiano vende abacaxis na estrada. O detalhe é que ele chega pela manha, coloca os abaxis em uma caixa na estrada com o preço e vai embora só voltando a noite para recolher o dinheiro e os abacaxis restantes.

Pilantra e gente desonesta tem em qualquer lugar, mas aqui na Austrália eles são de longe a minoria. Isso faz com que o país não seja apenas mais seguro, como também mais agradável. Geralmente as pessoas desonestas aqui (que são poucas) tentam se aproveitar mais de estrangeiros que não conhecem as leis e não sabem direito como buscar os seus direitos, mas tirando esta minoria, a maioria da população da Austrália é bastante honesta e justa.

Não é o caso no Brasil. Não que no Brasil a maioria seja desonesta, mas digamos que uma “medioria”, pois tem muita gente desonesta que se acha o exemplo de integridade. Lembro que recentemente aqui na Austrália um brasileiro postou em uma comunidade no Facebook criticando a corrupção e a desonestidade no Brasil, 3 dias depois estava lá ele de novo, em outra comunidade sugerindo a outro brasileiro que não pagasse as multas que ele tinha aqui, pois como ele estava voltando para o Brasil não “pegava nada”.

Tem muito brasileiro honesto e estes são sem dúvida os que acabam se dando melhor aqui, mas esta “medioria” é que acaba estragando o país. Se o dinheiro público não fosse desviado o Brasil certamente teria uma condição semelhante a da Austrália.

4 – O Acesso a saúde de qualidade é para todos

Hospital Público em Sydney

No Brasil as classes sociais mais altas possuem plano de saúde privado e usam hospitais particulares enquanto as camadas mais baixas tem que que depender dos ineficientes, lotados e mal administrados hospitais públicos, onde médicos são mais raros que bilhete da loteria premiado. Aqui na Austrália, não importa se você ganha $10 dólares por mês, ou $200,000, você usará o hospital público para emergências e atendimentos imediatos. Não existe atendimento de emergência em hospitais privados. Hospitais privados são apenas para atendimento agendado. Se um político e um garçom sofrerem um acidente no mesmo dia ambos serão levados para serem atendidos em um hospital público. Desta forma a qualidade dos hospitais é na maioria das vezes excepcional.

Parte da sala de parto onde tivemos o bebê. Esta é a área da banheira. Ainda há a parte com a cama e área de descanso.

Recentemente tivemos nossa filha em um hospital público e eu tenho certeza absoluta (baseado na experiência que tivemos e no que vi das pessoas que escolheram hospitais particulares) que tivemos um atendimento muito melhor em todos os aspectos que se tivessemos escolhido um hospital particular. Tivemos 2 midwives nos acompanhando durante toda gravidez, chegando depois de um certo período a ter uma consulta por semana. O parto foi realizado em uma sala super moderna, inclusive com banheira caso a mãe quisesse ter o parto realizado na água e com área de TV e descanso para o pai no próprio quarto. Ficamos em um quarto privado com atendimento o dia inteiro e durante o parto chegou a ter 4 médicos 2 enfermeiras e 2 midwives na sala de parto.

5 – Acesso à educação pública de qualidade para todos

Por causa do sol forte, chapéu faz parte do uniforme dos estudantes na Austrália

Na Austrália a educação pública é excelente (muda um pouco dependendo do bairro) e se seu filho tiver um rendimento acima do normal ele pode ser transferido para escolas especiais para os alunos com melhor desempenho. Em North Sydney morei ao lado de uma destas escolas onde inclusive estudou a Nicole Kindman. Na faculdade, o governo paga pelo valor do seu curso e você só precisa pagar quando estiver trabalhando e ganhando um salário acima de um certo limite.

6 – A vida acontece do lado de fora

Não sei por que o Australiano gasta tanto comprando imóvel quando a vida aqui acontece fora de casa. Eu nasci e cresci em São Paulo e a vida lá (tirando quando eu era criança) era de casa pro clube, do clube pra escola, da escola pro shopping… Tudo no Brasil, principalmente por questões de segurança, acontece entre 4 paredes. A Vida na Austrália é outdoor. Tudo aqui acontece ao ar livre. Os restaurantes mais cheios são os com vista para o mar, as praias ficam lotadas aos finais de semana e de ciclismo a parapente o povo está sempre fazendo algo fora de casa.

7 – Você absolutamente não se preocupa com segurança

Os caixas eletrônicos na Austrália ficam na rua (literalmente)

Não me lembro de nem apenas um dia em que me preocupei de qualquer forma com minha segurança aqui. Você saca dinheiro nos caixas eletrônicos a qualquer hora do dia e da noite, literalmente no meio da rua, sem se preocupar, você vai no trem trabalhando em um MacBook e ouvindo algo no iPhone sem ficar com medo de alguém lhe roubar e sequestro ou assalto a mão armada são palavras que você jamais irá ouvir aqui. Há uns anos publiquei aqui uma matéria que tinha saído na capa do Manly Daily, o principal jornal de Manly onde a matéria de capa era sobre um peru (sim, um peru, aqueles de natal só que vivo) tinha destruido o jardim de uma velhinha e ela estava cobrando providências. A não ser que você tenha medo de peru (no bom sentido) você não terá com que se preocupar por aqui (vale lembrar que alguns bairros são mais seguros que outros).

Garota usando o Macbook enquanto aguarda o ônibus chegar em Sydney, Austrália

8 – Cada um lava sua privada

Semana passada li um artigo muito bom do Gregorio Duvivier (aquele excelente ator do Porta dos Fundos) em que ele falava que em países em que você lava sua própria privada ninguém mata por uma bicicleta. Concordo com ele e a Austrália é um grande exemplo disso. Muitas brasileiras me escrevem falando que é impossível viver sem empregada quando você tem filho pra cuidar. As mães Australianas então fazem o impossível, pois cuidam dos filhos, cuidam da casa, depois que os filhos tem 6 meses voltam ao mercado de trabalho e fazem tudo isso sem empregada, lavando suas próprias privadas, preparando suas próprias comidas e organizando a própria vida. Claro que se você perguntar para cada uma delas se elas gostariam de ter uma empregada em tempo integral eles provavelmente diriam que sim, mas para se ter uma empregada aqui nas mesmas condições de trabalho de uma empregada no Brasil, custaria cerca de $5,000 dólares por mês(contando impostos e demais direitos trabalhistas).

As crianças também aprendem desde cedo a ajudar nas atividades da casa. As crianças ajudam a lavar louça, passar aspirador e arrumar a casa e nenhuma criança morreu por causa disso até hoje.

 

9 – Não há ambições por status

Marca é tão insignificante na Austrália que até a polícia tem Porsches

“Aqui na Austrália se você parar na porta do lugar mais caro (vamos dizer um restaurante) dirigindo um fusca 1979 caindo aos pedaços, ou um Porsche 911 0KM conversível, ninguém vai sequer virar o pescoço para prestar atenção. Aqui ninguém tem ambição por carro, coisas, marcas, etc. Aqui cada um se veste como quer, dirige o que quer, vai onde quer sem se preocupar com aparências ou com que os outros vão achar. Aqui todo mundo é tratado igual. Quando troquei de carro ano passado fui visitar algumas concessionárias e passei na concessionária de uma marca considerada de luxo no Brasil para conferir uma promoção(aqui geralmente você tem várias concessionárias de várias marcas na mesma rua). Cheguei lá de bermuda velha, camisa de pijama (literalmente) e chinelo. Ao entrar na concessionária comecei a abrir os carros, sentar e mexer em tudo, quando um dos vendedores veio pra mim e falou: “Boa tarde, você gostaria de um café?”.

Quais as chances disso acontecer no Brasil? No Brasil o cara já ia me pedir para não mexer nos carros, não tocar nisso ou naquilo. Aqui ninguém está nem ai pra você. Tenho amigos que não são ricos e tem carros caros não por que querem aparecer, mas por que simplesmente é o carro que eles gostam, como tenho amigos milionários que tem carros bem mais simples apenas por que eles não ligam pra carros. Aqui cada um vive como quer e do jeito que quiser.

 

10 -Há Desenvolvimento e manutenção

 

Lembro que no Brasil algumas vezes construiam algo legal e 1 ano depois já estava caindo aos pedaços. Aqui tudo que é construído recebe manutenção. As calçadas são limpas, organizadas, sem buracos, não há buracos nas ruas, as ruas são limpas diariamente com máquinas especias. Acho que raramente vi aqui algo quebrado ou sujo. O mais interessante é que aqui eles cuidam não apenas da propriedade privada, mas pública.

Isso é apenas uma calçada em uma rua qualquer na Austrália, mais especificamente em Sydney. Isso é só para mostrar como tudo aqui, até as calçadas, são não somente bem feitas, mas bem cuidadas com manutenção semanal e limpeza diária.

 

11 – O Governo provê suporte para famílias

Apartamento que era parte do Housing Comission. Housing Comission são propriedades fornecidas pelo governo para famílias enfrentando dificuldades financeiras, idosos ou desempregados.

O governo Australiano está sempre pronto a ajudar quem necessita. Idosos, mães solteiras desempregadas, pessoas doentes ou com deficiência possuem todo apoio do governo seja para moradia, alimentação e até para outros gastos como remédios e atividades

 

12 – É possível viver bem gastando pouco

Qualquer pessoa que trabalhe tem acesso a uma qualidade de vida considerada de rico no Brasil. Quando cheguei em Sydney morei em North Sydney e por $5,00 dólares podia frequentar a piscina pública de North Sydney, ao meu ver, a mais bonita da Austrália.

Honda Jazz – Entrada de 10% + $69 por semana

Um Honda Fit (chama-se Jazz aqui) é um carro popular e um Honda Jazz completo (ar, direção, vidros e travas elétricas, bluetooth e todos os equipamentos que você imaginar) custa $2,000 dólares de entrada + parcelas de $69,00 dólares por semana. Um detalhe é que o carro mais completo no Brasil é o básico (entre level) aqui. Aqui existe um maior respeito pelo consumidor. Se oferecerem algo ruim ninguém compra.

Aqui ninguém te explora também. Seguro de carro, IPVA, IPTU e outras contas são razoáveis. Você não perde o sono por que chegou sua conta do seguro. Eu pago $900,00 dólares de seguro por ano enquanto um amigo meu no Brasil, com um carro semelhante paga 10 vezes mais. UM carro que custa $50,000 aqui chega a custar $150,000 no Brasil.

 

13 – Cada um respeita seu próximo

Australianos indo de bicicleta para o trabalho pela manhã

O povo Australiano é muito educado e cada um respeita o seu próximo (mais uma vez, claro que há exceções). Desta forma, você pode ir de bicicleta para o trabalho sabendo que será respeitado no trânsito. A consequência disso? Muitas pessoas trocaram o carro ou o transporte público pela bicicleta para ir ao trabalho. Além disso o povo costuma se ajudar mais e quando há uma pessoa ou causa precisando de ajuda ela geralmente é rapidamente resolvida.

 

Alguns outros Fatos sobre a Austrália em comparação ao Brasil que Talvez você não saiba

Em média se vive 8.79 anos a mais quem vive na Austrália em comparação com o Brasil.

No Brasil você tem cerca de 25 vezes mais chances de ser assassinado do que na Austrália

O Australiano ganha em média 72% a mais que o brasileiro

A divisão de classes é 71.2% maior no Brasil

 

Autor: Jerry Strazzeri

Fonte: http://www.brazilaustralia.com

MAIS  POSTS

Como Reconhecer Pessoas Arrogantes

Você sempre parece cruzar o caminho de gente egocêntrica, intolerante a pessoas diferentes delas, rude ou claramente arrogante? Estas pessoas podem ser uma fonte de grande irritação, e este artigo está aqui para ajudar você a diferenciar pessoas arrogantes das nem tão arrogantes.

1.Preste atenção às conversas dessas pessoas.

Não fique ouvindo escondido, mas, quando elas estiverem falando com você ou com alguém perto de você, escute-as. O assunto é sempre sobre elas mesmas? Elas ficam bravas ou irritadas se o centro das atenções virar outra pessoa? Estes são sinais claros de arrogância. Arrogância e soberba normalmente são o reflexo de uma experiência de vida limitada e da preocupação de que aqueles com maior experiência sejam “superiores a eles”. Em vez de procurar descobrir coisas novas perguntando e de aprender com isso (ações que elas acham que mostram vulnerabilidade), pessoas arrogantes tendem a fazer generalizações a partir de suas mínimas e limitadas experiências de vida e a impor sua visão de mundo pequena sobre os outros.

Ciúme das suas conquistas ou do seu estilo de vida aparente pode fazer com que outra pessoa se sinta convencida ou com que seja arrogante em relação a algo que ela faça melhor que você/que ela tenha e você não.

Pessoas arrogantes têm uma necessidade forte de ficar por cima. Quando você diz algo ruim sobre elas — mesmo que seja a mais “leve” das ofensas —, elas tendem a ficar muito bravas com você. Isso acontece se você questionar (ou parecer questionar) a aparência delas, sua inteligência, suas habilidades atléticas ou qualquer coisa relacionada à imagem que elas têm de si mesmas.

2. Desafie seus pontos de vista.

Não seja agressivo — apenas cético e curioso. Se a pessoa ficar aborrecida, meça sua raiva. Se não for muito grande, então, é possível que ela apenas esteja tendo um dia ruim. Mas, se ficar furiosa, ela pode estar achando que você está questionando seu “mundo perfeito”. E esta resposta costuma ser um indicativo de arrogância. Em algum momento, a maioria das pessoas percebe que o mundo não gira do seu redor. Pessoas arrogantes tentam mudar isso criando uma atmosfera que gira ao seu redor e ficam bravas se alguém lembrá-las do mundo real.

A ambiguidade assusta pessoas arrogantes porque sugere imperfeição, mudança e incerteza (realidades com que todos devemos lidar da melhor maneira). Assim, em vez de aceitar que o mundo se comporta de maneira aleatória e, às vezes, totalmente contrária às preferências de alguém, a pessoa arrogante procura controlar tudo e todos, o que, obviamente, é uma missão impossível.

A realidade dói quando aparece; assim, uma pessoa arrogante, ao contrário das outras, dificilmente faz reflexões sobre si mesma ou se analisa, portanto, não vendo as próprias imperfeições. Ela também pode se dar créditos indevidos por conquistas positivas em vez de reconhecer o mérito dos outros ou das circunstâncias.

3. Descubra a qualidade das amizades dessa pessoa.

Não seja intrometido ou fofoqueiro, mas, se ela estiver feliz com alguém num dia e brava no outro, é possível que ela tenha muitos amigos interesseiros. Isso é um sinal de arrogância, uma vez que é muito difícil ser amigo de verdade de alguém tão egocêntrico. Pessoas orgulhosas têm uma necessidade forte de ficar por cima, e ser autossuficiente é uma maneira efetiva de fazer isso. Como ser amigo de alguém muitas vezes significa ajudar essa pessoa, o arrogante, muitas vezes, não suporta sequer a ideia de uma amizade de verdade. Ironicamente, pessoas arrogantes, muitas vezes, não entendem por que não têm nenhum amigo com quem possam contar e que as apoie.

4. Como a pessoa trata aqueles diferentes dela?

Em outras palavras, como ela reage a crenças, culturas e maneiras de ver o mundo diferentes das dela? Se for de forma inerentemente negativa, então, ela ou é ignorante em relação a essas características da outra pessoa ou faz o possível para evitá-las para que elas não contradigam seu mundo de fantasia que só diz respeito a ela mesma. Determine isso com base na personalidade geral do arrogante e nas pessoas com quem ele interage. Muitas vezes pessoas orgulhosas têm um comportamento de “meu jeito é o jeito certo”. É um simples mecanismo de defesa para a imagem falsa que elas sustentam ou para o mundo de fantasia em que vivem.

5. Como é a personalidade dessa pessoa?

Anote como ela age, como fala e como usa seu status social. Ela costuma estabelecer regras sobre o que é legal e o que não é? É tagarela? Ela age como se fosse a rainha do lugar, ou como uma “predadora”? É muito orgulhosa da imagem que tem de si mesma? Muitos arrogantes têm um charme falso que ninguém consegue enxergar. Mas eles ficam mais do que felizes de mostrar seu lado cruel àqueles de quem não gostam.

Quando são cruéis, seus amigos normalmente ignoram ou não fazem nada para pará-los, porque eles têm medo de ser maltratados por seus “amigos”.

6. Mencione pessoas que você “sabe” que o arrogante não gosta.

A ideia não é criar um conflito, mas medir as rivalidades, as inimizades e o aborrecimento dele. Se o problema que ele tem com a pessoa for razoável, é provável que ele não seja arrogante. Caso contrário, ele é. Na maior parte do tempo, pessoas arrogantes veem aqueles de quem não gostam como ameaças para o seu mundo perfeito. Quanto mais eles odeiam alguém, mais perigosa esta pessoa é para sua terra de fantasia. E, por conseguinte, quanto maior a ameaça, pior seu criticismo.

7. Procure saber o que a pessoa anda dizendo de você.

Se forem coisas ruins, ela talvez simplesmente não goste de você. Se ela for legal na sua frente, mas viver falando mal de você nas suas costas, então, provavelmente ela tem um problema com orgulho. Pessoas arrogantes, muitas vezes, sabem inconscientemente que não têm bons amigos. Elas compensam isso criando a impressão de que têm muitos — uma ideia de “quantidade, não qualidade”. Então, elas simplesmente insultam os amigos que gostam de exibir para os outros quando eles não estão olhando.

8. Seja compassivo.

Não julgue demais pessoas arrogantes ou você corre o risco de parecer tão ruim quanto elas. Esse tipo de gente muitas vezes tenta esconder certas vulnerabilidades e medos. Na maior parte das vezes, a necessidade de ter uma autoimagem forte e inquestionável vem de uma dor profunda. Obviamente, você não precisa também aceitar a ideia dessas pessoas de que elas são superiores a você. Mantenha-se imparcial e atenha-se aos seus princípios. Mas você pode conviver com elas e descobrir o que há de bom nessas pessoas, elogiar seus talentos reais em vez dos forçados. Às vezes, ter alguém que ultrapasse a grosseria pode libertar o arrogante de modo que ele seja mais verdadeiro consigo mesmo e pare de se proteger tão ferozmente. Uma ampla gama de vulnerabilidades tende a estar escondida sob a arrogância. Isso leva à compensação, para que essa vulnerabilidade fique bastante suprimida. Por exemplo, se a pessoa arrogante cresceu na pobreza, mas, depois, ficou rica, ele ou ela pode se tornar esnobe em relação a tudo que pode comprar agora, para cobrir o passado pobre.

Fonte: http://pt.wikihow.com

MAIS POSTS

Salão 2 rodas e suas ‘máquinas’

MAIS POSTS

Tatoos versus violência doméstica

O projeto “A Flor da Pele”, de Flavia Carvalho, cobre marcas e cicatrizes a fim de ajudar mulheres a superarem traumas de violência.

A tatuadora brasileira Flavia Carvalho está a frente de um projeto que tem sensibilizado a todos.

O “A Flor da Pele” tem como objetivo cobrir cicatrizes e manchas de mulheres vítimas de abuso doméstico com belas tatuagens.

A ideia surgiu quando, certa vez, uma mulher que havia sido esfaqueada procurou Flavia para tatuar sobre uma cicatriz em seu abdome. “Depois da tatuagem terminada, ela parecia muito mais feliz e aquilo me tocou”, declarou a tatuadora. Para Flavia, essas tatuagens têm o poder de empoderar as mulheres e melhorar suas auto-estimas.

Tem como ser mais maravilhoso? Tem: Flavia não cobra pelo trabalho. Para saber mais sobre a tatuadora, conheça sua página no Facebook.

MAIS POSTS

 

Fonte: revistaglamour.globo.com



Topo